FDC - Fundação Dom Cabral | Fundadores


Emerson de Almeida - Cofundador e Presidente da Diretoria Estatutária da FDC

Fundador: Emerson de Almeida - Cofundador e Presidente da Diretoria Estatutária da FDC

Emerson de Almeida nasceu em Mateus Leme (MG) no dia 06 de julho de 1941. Aos oito anos de idade mudou-se, junto com sua família, para Belo Horizonte. Na capital, seu pai Geraldino de Almeida comprou uma barraca na Feira dos Produtores, no bairro da Lagoinha e foi lá que o menino Emerson começou a trabalhar. Quando tinha 17 anos abandou o serviço na feira e passou a trabalhar em uma importadora de peças de automóveis alemã, emprego que teve que abandonar quando completou 18 anos para prestar o serviço militar obrigatório. Ao final do serviço militar, comprou uma barraca no mesmo mercado onde seu pai e seu irmão exerciam suas atividades e entrou para o ramo do comércio. 
 
Concomitantemente ao serviço no mercado, o jovem passou a trabalhar também no jornal Diário Católico, sem abandonar os estudos, realizados no horário noturno. Algum tempo depois, decidiu vender a barraca no mercado e trabalhar integralmente no jornal. Neste período, iniciou a graduação em Economia na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Depois do jornal Diário Católico, trabalhou para outros jornais, como o Jornal do Brasil e o Correio da Manhã, bem como para a TV Belo Horizonte, hoje TV Globo. Em 1968, foi convidado a fundar a assessoria de imprensa da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais e manteve em paralelo o trabalho no jornal Correio da Manhã.
 
No ano seguinte, pouco depois de terminar o curso de Economia, decidiu fazer pós-graduação no exterior. Ganhou uma bolsa do governo francês e, com 28 anos, partiu para a França. Sua mulher, Nilda Lúcia Santos de Almeida, o acompanhou e eles viveram dois anos em Paris, onde Emerson fez uma pós-graduação em jornalismo, no Institut Français de Presse.
 
Ao voltar para o Brasil, em 1972, foi convidado pelo reitor, Dom Serafim Fernandes de Araújo, e pelo secretário geral da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Gamaliel Herval a tornar-se professor e vice-diretor da Escola de Comunicação. Nessa Universidade criou, em fins de 1972, o Centro de Extensão e junto com sua equipe começou a elaborar programas para a educação de executivos. Os cursos foram muito bem aceitos e a expansão das suas atividades revelou a necessidade de mais autonomia e independência para o centro. Para atender a essa finalidade foi criada, em agosto de 1976, a Fundação Dom Cabral. Emerson de Almeida passou a ocupar o cargo de superintendente da nova instituição. No ano seguinte ele deixou o Centro de Extensão e passou a ocupar a presidência da Fundação Dom Cabral, cargo que exerceu até 2012, quando se tornou Presidente da Diretoria Estatutária. 
 
Durante os 36 anos em que foi presidente da Fundação Dom Cabral coordenou vários trabalhos, dentre eles, o planejamento e a implantação, em 1980, do Centro de Estudos e de Desenvolvimento para a Exportação (CEDEX) e do Centro de Tecnologia Empresarial (CTE), em 1990. Coordenou ainda um programa de cooperação técnica internacional entre a Fundação Dom Cabral e o “Centre d’Enseignement Supérieur des Affaires” (CESA-França), com apoio do governo brasileiro, através da SUBIN – Secretaria de Planejamento da Presidência, e do governo francês, através do Quai d’Orsay. Além disso, dirigiu as negociações para a implantação de alianças da Fundação Dom Cabral com o INSEAD (França), a Kellogg School of Management (EUA) e a University of British Columbia - UBC (Canadá). Nos últimos anos dedicou-se às negociações para a implantação de uma rede de contatos entre escolas de negócios da América Latina (Enlaces) e BRIC’s (Brasil, Rússia, Índia e China).
 
Realizou ainda um estudo sobre a Tendência da educação executiva – entrevistou Deans de 20 escolas de negócios internacionais com o objetivo de levantar os movimentos estratégicos e a tendência do setor de Business Education – o qual subsidiou o conteúdo e os temas da conferência internacional Strategic Movements on Business Education, em cooperação com a EFMD (European Foundation for managements Development) em 2010.
 
Escreveu o livro “Fundamentos da Empresa Relevante - Meu aprendizado na FDC”, publicado em 2006 pela Editora Campus e a edição revista e ampliada dessa obra publicada em 2011 com o nome: “Plantando Carvalhos – Fundamentos da Empresa Relevante”, publicado também em espanhol em 2013, com o título de Plantando Robles. Posteriormente, escreveu também o livro "A sucessão como ela é: de sebtimentos a jogos políticos nas organizações", publicado em setembro de 2016.
 
Atualmente é membro do Conselho Consultivo Internacional da Guanghua Business School (Peking University), do Conselho Internacional do INSEAD (França) e do Conselho Internacional da Universidade de los Andes (Colombia) e membro de conselhos de várias instituições. 
 
Criou em 2008 o Comitê de sustentabilidade e Inclusão Social da FDC que tem como objetivo promover a sinergia e integrar as áreas da instituição na realização de ações estratégicas relacionadas aos diversos programas e projetos que têm a sustentabilidade como eixo central. Idealizou um dos projetos sociais da FDC de maior visibilidade que é o Programa Dignidade cujo objetivo é o desenvolvimento e a capacitação em gestão de empreendedores que tenham ideias ou projetos inovadores com foco na redução das desigualdades sociais no Brasil.
 
Fundou e preside o Instituto Cultural Inhoré, localizado em Jaboticatubas/Capão Grosso que tem como objetivos atuar na área da cultura, utilizando as atividades artístico-culturais como instrumento para promover a cidadania, a redução das desigualdades sociais, o desenvolvimento humano, educacional e socioeconômico da população, bem como das regiões adjacentes, mediante atividades e projetos de atuação ampla, podendo também atuar nas áreas social, educacional, ecológica, esportiva e turística. 


POLITICA DE PRIVACIDADE
Todo o conteúdo presente no Portal Memória FDC foi retirado de nosso próprio acervo. Caso alguém que esteja representado em algum de nossos documentos não concorde com a exposição de sua imagem ou tratamento dos dados pessoais eventualmente apresentados, gentileza entrar em contato através do e-mail: memoria@fdc.org.br, para que possam ser tomadas as devidas providências na cessação da divulgação, ou então acesse a página de privacidade: privacidade.fdc.org.br para exercer os direitos correspondentes aos seus dados pessoais.